sexta-feira, 27 de outubro de 2017

[Tradução] Uma carta às jovens damas

Eu gosto de receber cartas. Mais do que um telefonema, mais do que um fax ou um e-mail, é claro que as cartas são soberanas quando se trata de meios de comunicação. Devido a estar na profissão literária, naturalmente recebo cartas de amigos, mas também de pessoas as quais não conheço. Cartões feitos de placas de estanho, propagandas e envelopes feitos individualmente usando papel de cores festivas, artigos de papelaria que se tornam uma porta copos improvisado, romper o lacre de uma carta e ver fogos de artifício saindo ... por exemplo, o papel normalmente usado para relatórios escolares com as palavras "Agora eu estou em sala de aula, por isso, desculpe o tipo de papel" escritas nele me deixa indescritivelmente feliz.

Uma carta insinua a passagem do tempo. Uma vez que alguém tenha a ideia de escrever uma carta, a pessoa escolhe um papel de carta ou um cartão postal (é um sentimento tão maravilhoso quando você está na loja da esquina escolhendo cartões postais e você pensa quando você os está comprando "Vamos enviar esse para essa pessoa") e, se possível, você também leva em consideração a cor da caneta e o selo. Você escolhe suas palavras, e você pode ter escrito algo nocivo no passado, mas conforme você chora, você pode corrigi-lo e escrever algo novo. O que você escreve é apenas um pouco mais educado do que o seu discurso cotidiano, uma vez que a letra é dotada de uma elegância feminina. Você poderia escrever algo ao longo da linha de "Ontem realmente revelou-se bastante esplêndido", ou esse tipo de coisa, e terminar com um "respeitosamente". Muito tempo e esforço entraram nesta carta, tudo por causa do receptor. Se eu acabo passando por uma carta que é muito vivaz, eu gosto de imaginar que o autor tenha sofrido muitos problemas, não importa quantas vezes eu volte e a leia.


Novala Takemoto
Uma carta é onde a humildade e o desprezo coexistem em uma misteriosa forma de mídia. Se ela pode ser lida ou não, há esse hábito de ignorar a intenção do autor e, arbitrariamente, acompanhar os sentimentos pessoais. Uma expressão facial dócil é, na realidade, puro egoismo. Então, a carta, sim, se encaixa exatamente na personalidade de uma jovem dama, não é? É especialmente agradável quando, em vez de usar o serviço postal, um presente é entregue pessoalmente. A coisa mais não romântica que você pode fazer, é enviar um pacote pela empresa de entrega expressa, envolto em papel kraft marrom com um rótulo sobre ele. Seu sonho é que muitos garotos disputem pelo seu coração, talvez.








Texto original: Novala Takemoto
Tradução para o inglês por Curi - A letter to young ladies
Tradução para o português por Ana Carolina

6 comentários:

  1. Adorei o texto. Adoro escrever e gosto muito de praticar a minha caligrafia. Tenho canetas caligráficas, papel e lacres mas infelizmente só escrevo na altura de fazer cartões de presente ou convites. É difícil arranjar um penpal e é por isso que amo receber bilhetinhos em conjunto com as minhas encomendas. Guardo-os todos, por mais simples que sejam :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado! Eu adoro escrever cartas, e estou querendo melhorar a qualidade delas. Já comprei até um desses objetos de fazer lacres de cera, mas ainda não chegou. Fico triste que aí não tenham muitas pessoas dispostas a trocar cartinhas :/

      Excluir
  2. Eu quero muito começar a enviar cartas!!! Eu e o meu namorado moramos um pouco longe, então eu não posso ajudá-lo pessoalmente quando está triste, e imagino se uma carta á moda antiga e um dos meus desenhos não o deixaria melhor!!!!

    Pena que eu não faço ideia de como usar o correio...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seria muito legal! Garanto que ele ia adorar!
      Eu fiz um post sobre como usar o correio, espero que seja útil!

      http://rendasbabadosebordados.blogspot.com.br/2017/10/licoes-para-novatas-como-usar-o-correio_27.html

      ResponderExcluir

      Excluir
  3. Ah eu sempre quis voltar a trocar cartinhas, mas não teria nada pra escrever! :'c
    Eu tive duas amigas com quem trocava cartas quando criança (na época, eram meus pais que levavam ao correio, eu só escrevia e decorava, enchia de frufru), uma morava no Rio Grande do Sul e outra no Rio Grande do Norte... falávamos sobre tudo, tudo era tão lindo e simples..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah eu sempre acho que não tenho nada interessante pra escrever no começo, mas depois fica tão interessante o assunto e ir descobrindo as coisas que a outra pessoa gosta e que temos em comum que fico ansiosa pelas próximas cartas!

      Excluir

Seja bem vindo (a)!
É muito gratificante ter sua opinião registrada aqui!
Deixe o link de suas redes sociais para que eu possa retribuir seu comentário. Todos os comentários são devolvidos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...